terça-feira, 14 de dezembro de 2010

MONSENHOR TABOSA E SUAS HISTÓRIAS

Essa é a capa do livro "Monsenhor Tabosa e suas histórias" escrito por meu pai, Helder Mesquita. Sou suspeito para falar do  mesmo, mas ao mesmo tempo sinto orgulho por Deus ter me permitido vir ao mundo no lar desse filho ilustre de Monsenhor Tabosa. Esse foi o primeiro de seus livros e espero , em breve, disponibilizar os capitulos desse para os leitores do blog. Abaixo podemos ver as brilhantes palavras de Paulo Eduardo Mendes sobre o autor da obra, em uma crônica publicada no jornal Diário do Nordeste no dia 28 de agosto de 2010.





Arraial da telha



O título que encima esta crônica mostra o clima bucólico das viagens feitas pela estrada dos livros. São passeios com recuo no tempo. Fomos ao município de Monsenhor Tabosa e o fizemos começando por visitar o Arraial da Telha. Forma lúdica de conhecer a origem da cidade até a sua consolidação para implante na Carta Geográfica atualizada.



A passagem que nos permitiu ir ao Arraial da Telha veio juntamente com o livro "Monsenhor Tabosa e suas histórias", soberbamente escrito por J. Helder de Mesquita. O autor, emérito Juiz de Direito, traz relatos circunstanciados da sua gleba. Traça carinhosamente tudo o que se descortinou na retentiva dos anos vividos na sua terrinha berço. No livro em pauta o leitor vai encontrar motivos sobejos para ir a Monsenhor Tabosa a fim de constatar a vida de um povo lutador, na eterna busca por dias melhores, sem perder o bucolismo e características capazes de identificar vultos e personalidades dentro da perspectiva histórica que revela aspectos e tipos da região. Helder revela o seu pendor para as letras quando sai da circunspecção de Juiz de Direito para ser um leve contador de histórias bem humoradas. A gente sempre destaca o sabor de um livro. Os livros que têm essência são humanisticamente saborosos para o deleite da boa leitura. Helder de Mesquita sabe dar o recado da nostalgia que agrada. Sua veia de historiador o fez apresentar outro livro, numa expressiva homenagem a João Pinto de Mesquita - o Patriarca de Jacurutu. Destaca a saga da sua família, no orgulho natural de ver o crescimento de sua prole sempre no caminho do bem. Revelações e prosa de alto nível nesse autêntico historiador das coisas que merecem registro definitivo. São dois livros para a encadernação de luxo dos que amam a leitura. Vertente de boa cepa, o J. Helder de Mesquita tem o aval da literatura reconhecida pelos seus méritos que o fez assumir a Cadeira 22 da Academia Maçônica de Letras e Academia Leonística de Cultura no Ceará. Homem de letras o juiz Helder de Mesquita presta mais um serviço , quando escreve contribuindo para a grandeza da literatura como um todo da nossa rica cultura de tantas evocações históricas.


Paulo Eduardo Mendes - jornalista



3 comentários:

Estefania disse...

Tambem sou suspeita pra tecer comentarios, pq sou filha do autor, mas o livro é uma delicia de se ler. A gente se diverte com as histórias. Eu ri demais. RECOMENDO.

Evandro disse...

Amigos, como faço para adquirir o livro? Se tiver digitalizado, por favor, enviem-me.

Dr Luiz Mesquita disse...

deixa teu email na minha caixa postal. No inicio do blog tem o endereço