quarta-feira, 18 de maio de 2011

SESSÃO SOLENE HOMENAGEIA VEREADOR DJACIR DÃO

Sávio Frota, atual presidente

A Câmara Municipal de Monsenhor Tabosa, comandada por seu presidente Sávio Frota (PSB) prestou as devidas homenagens a seu ex-presidente Antonio Djacir Alves Barbosa, mais conhecido como Djacir Dão, neste dia 17 de maio de 2011 em sessão solene as 16 h.
Vereador Roberto sa´da Djacir

Contando com a presença do prefeito Municipal José Araújo Souto, dos ex-presidentes da Câmara Municipal de nossa cidade, João Souto (atual vice-prefeito), Cléa Teixeira (secretaria de ação social), Ricardo Mesquita (vereador PSL) , Gildo Porfírio (vereador PSDB), Salvador Mesquita (PR) e Moacir Cursino (PSB), a presença dos vereadores de Tamboril, Pedro Calixto e Ramiro Júnior e do ex-vereador de Boa Viagem Jessé Filho. Fizeram-se presentes também ex-vereadores como Chico Amadeu, Dr Luiz (esse que vos escreve) e mais uma multidão de pessoas que se aglomeraram dentro da Casa do Povo taboense.

Ricardo Mesquita, ex-presidente

A sessão solene foi aberta com a execução dos hinos Nacional e Municipal, e depois foi dada a palavra aos atuais vereadores, que foi aberta com o veredaor Fernando, seguido por Roberto, Pinho, Ricardo Mesquita e Juraci. A vereadora Eridan visivelmente emocionada pediu para o cerimonial ler uma mensagem de conforto. O prefeito Zé Souto lamentou a morte de um amigo leal e liderança política como Djacir Dão. Finalmente o vereador Sãvio Frota, em suas palavras lembrou o começo de sua carreira política e de Djacir ter sido na mesma legislatura e enalteceu que muitos se surpreenderam pelo fato de um homem humilde como Djacir ter se sobressaido como um grande político em Monsenhor Tabosa.


Multidão na igreja

Imenso número de pessoas


Após a solenidade, os vereadores de nossa cidade transportaram o esquife mortuário até a igreja católica onde foi realizada missa de corpo presente.Era muito grande a quantidade de pessoas que foram se despedir de Djacir Dão.


Vereadores levam esquife

Adeus à Câmara Municipal


Despedida do filho


Palavras do prefeito

Despedida de amigos, a neta observa o avô




FOTOS: CHICO VERDE

segunda-feira, 16 de maio de 2011

MORRE VEREADOR DJACIR DÃO

Vereador Djacir Dão



Faleceu neste dia 16 de maio de 2011, o vereador Antônio Djacir Alves Barbosa (Djacir Dão), que atualmente era o vice-presidente da Câmara Municipal, a qual já presidira por 2 oportunidades. O vereador Djacir, estava internado em Crateús com quadro de infecção generalizada, complicado ainda mais por uma diabetis que ficou incontrolável. O agravamento nas últimas horas gerou uma preocupação a todos familiares, amigos e correligionários deste líder político de nossa cidade.

Djacir era comerciante, e estava no exercício de seu quarto mandato, apenas interrompido quando foi candidato a vice-prefeito de nosso município em 2004. Djacir sempre foi um dos campeões de votos em Monsenhor Tabosa. Atualmente estava no PR (Partido Republicano).

O velório ocorrerá em sua residência no bairro Jucás e será levado para a Câmara Municipal para as devidas homenagens. Este blog se solidariza com a família do vereador Djacir.

sábado, 14 de maio de 2011

ESTAMOS NO TOPO: QUE PENA, MAS É O QUE SE DIVULGA SOBRE NOSSO MUNICÍPÍO


A quantidade de cidades cearenses em epidemia de dengue cresceu. Agora são 35 os municípios que contabilizam mortes em decorrência da doença ou incidência de casos superior a 300 por 100 mil habitantes, critérios usados pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) para classificar surto epidemiológico. No começo de abril, eram 27 as cidades com epidemia. O levantamento foi feito pelo O POVO a partir dos dados do boletim semanal da dengue, divulgado ontem pela Sesa.


Apesar do crescimento dos municípios com epidemia, o coordenador de Promoção e Proteção à Saúde do Estado, Manoel Fonsêca, diz que não há cidades com “situação fora de controle”. “Está havendo tendência de redução de casos. Ainda não é possível afirmar, mas é possível que a gente esteja saindo da fase crítica”, comenta. A presença dos carros fumacê pode ter contribuído para essa redução, diz Fonsêca.

A quantidade de óbitos, porém, continua preocupando, afirma o coordenador da Sesa. O boletim indica quatro novas confirmações de morte por dengue no Estado. Agora são 39. Três foram em Fortaleza e uma em Monsenhor Tabosa, a 319 quilômetros da Capital, cita o médico. Trinta e um óbitos seguem sob investigação. 17.066 casos da doença foram confirmados até agora. São 7.502 só em Fortaleza, que já tem 15 mortes por dengue hemorrágica e dengue com complicação.

Interior
Monsenhor Tabosa está no topo do ranking de municípios com incidência alta de casos. São 1.537,3 casos por 100 mil habitantes. A coordenadora de atenção primária do Município, Ademária Timóteo Rosa, comenta, entretanto, que o número está caindo. “Trabalhamos com palestras nas praças e em algumas áreas de bairros, associações, sindicatos, mutirões. A gente pensa a longo prazo”, diz. 

Além disso, um projeto do Município prevê premiar cidadãos que cuidem corretamente de casa para combater o mosquito. Ademária cobra mais carros fumacê para Monsenhor Tabosa. “É uma carência. Queríamos ciclos semanais, mas aqui só teve duas vezes. Sentimos necessidade”, comenta.

Em Itapipoca, o empenho de todos garantiu a redução dos casos nas últimas semanas, garante o coordenador de controle das endemias do Município, Assis Siqueira. “Jamais paramos de trabalhar e hoje não temos mais problema de dengue em Itapipoca. Já passou, mas o acumulado do ano repercute”, diz. Em abril e maio, a cidade contabilizou apenas 2 casos. Porém, a incidência ainda é alta: 810. “A população muitas vezes não faz a sua parte”, comenta Assis.

Por quê

ENTENDA A NOTÍCIA
A epidemia de dengue é um alerta para todos. Constatado o surto, é preciso ampliar as ações de combate ao Aedes aegypti, principalmente para evitar o crescimento de casos graves e, consequentemente, de mortes.

SAIBA MAIS

Os 35 municípios considerados em epidemia são: Acarape, Aiuaba, Aracoiaba, Baixio, Barreira, Barro, Baturité, Caucaia, Chaval, Chorozinho, Crateús, Coreaú, Fortaleza, General Sampaio, Granja, Icó, Itaitinga, Itapipoca, Jucás, Limoeiro do Norte, Maracanaú, Maranguape, Massapê, Mauriti,

Monsenhor Tabosa, Novo Oriente, Ocara, Parambu, Penaforte, Quixadá, Santa Quitéria, São Gonçalo do Amarante, Tejuçuoca, Umari e Varjota.

É constatada epidemia quando são contabilizados mais de 300 doentes por 100 mil habitantes ou quando são registradas morte por Febre de Dengue Hemorrágica (FDH) ou Dengue com Complicação (DCC).

Em Fortaleza, Messejana continua sendo o bairro que registra a maioria dos casos de dengue. Até agora, foram 334 casos.

O número de casos registrados no Ceará até ontem já supera o total de 2010, quando foram 13.143 confirmações.

O médico Manoel Fonsêca cita ainda o aumento da proporção de casos graves. Este ano, para cada caso grave, são 53 casos de dengue clássico. Em 2001, a proporção era de 1 para 383.

Fatores como a circulação simultânea de três sorotipos, a sensibilização da população por infecções anteriores e a super ndemicidade (paciente ser vítima de mais de um sorotipo) aumentam a probabilidade de formas graves e óbitos em decorrência da dengue.
Mariana Lazari
marianalazari@opovo.com.br